Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0288 - Louco

Sou louco, com habilidade suficiente para apaixonar,
no meu mundo não existem princípios ou compromissos,
não falo nenhuma verdade, nenhuma jura,
sou apenas um personagem que passa pela vida.

Tenho pele de humano, corpo de humano,
na verdade não pareço com um homem comum.
nego todas as vezes que me chamam de normal,
sou amante com desejos absurdos e brilho no olhar.

Eu moro em qualquer lugar, sou criança quando amo,
não sei o que vai ser depois de fazer amor, talvez mais amor,
preciso ouvir, ainda que nada diga, com os olhos ou com as mãos,
quero entender que sou ao menos notado n'outro corpo.

Não avalie minhas atitudes, eu sufoco quem amo,
transformo-a em deusa, em estatua, em única,
modifico seus pensamentos, rasgo suas vestes,
enquanto minha língua te ensina meu jeito de gozar.

O mundo precisa de loucos, ensandecidos de paixão,
o mundo precisa de batalhas de sexos, de lutas,
cada corpo com outro corpo, cada noite outro prazer,
não tente entender, transcenda seu tempo e me enlouqueça.

Sou amante e louco, tenho urgências de quereres, de paixão,
capaz de tomar todos os corpos para si, se fartar insanamente,
dizer todas as verdades, todas as mentiras e depois fazer sonhar,
falando aos olhos, tocando os sexos, acalentando a alma.

20/05/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 16/05/2005
Código do texto: T17266
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116253 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 11:57)
Caio Lucas