Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0289 - Morte

Amar e pensar são coisas diferentes quando morre,
mato-me depois de cada paixão jogada fora,
como sentir um corpo ausente no meu,
fica apenas uma imagem animada que diz não,
um encontro como um desafio que não houve.
 
Minha morte é apenas um sono sem figura,
é quando me encontro em pleno repouso,
meus pensamentos vão até à mulher que desejo,
ficam lembranças do minuto que passa,
sou apenas uma semelhança de quem ainda ama.
 
Tento hoje morrer um pouco mais além do dia,
quero não sentir a noite entrando pelos olhos,
meus pensamentos viajam até um ponto de espera,
todas que marcamos, todas as nove luas, nove nãos,
quando meu desejo vem me perco no tempo.
 
Não deixarei para depois nenhum outro sentimento,
que a lua me desperte quando a paixão acordar;
se o sol queimar meu peito, não importa se te aquecer,
pedaços de carinhos eu guardei, nenhuma parte tomei,
se acontecer um outro encontro, te amo, te amarei sim.
 
20/05/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 16/05/2005
Código do texto: T17267
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116250 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:30)
Caio Lucas