Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POESIA NO CIO

A tua poesia no cio me chamou p’rum embate
Em si ela já não cabe
Vaza
Escorre pelas pernas
Da tua boca e poros escapam o poema
Dos teus seios vertem versos
As rimas lhe fartam em tons e sons como trovões rasgam-se
Explodem ferem...

A tua poesia no cio comigo tramou um amálgama
Se atou
Numa mistura sem cura que não se separa
Se fissura mas não larga
Rasga mas não desata. Marca. Suja-se como criança na terra
E não se limpa por mais e mais que se lave

O poema que se fez nesse embate é cria
Letras em enlace rimas em tramas e tranças
São frases que se tratam
E se tocam
Uma troca em êxtase. São versos que parem fincam e ficam
Rasgam e nascem crescem e partem
Como filhos, como arte
Raul Los Dias
Enviado por Raul Los Dias em 10/06/2006
Reeditado em 10/06/2006
Código do texto: T172763

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Raul Los Dias
Argentina
512 textos (75922 leituras)
1 e-livros (178 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:07)
Raul Los Dias