Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amálgama – II

Desceu a Lua no horizonte
Está na crescente, linda & sensual,
Até parecia dessas noites no deserto
Ou de mar sem ondulação, calmaria,

Desceu feito um fetiche
Esperando que algum esforço
Se feito em tom de bom sinal
Por todo amor que se comporia,

Desceu da tez lágrima calmante
Casta, & fresca, um toque carnal,
Dos escombros de um ato incerto
Afrescos que a cor corrompia,

Desceu a nau sempre vibrante
Seivas doces, a voz em concerto,
Vestes largas do pirata imoral
Com todos os gozo que lhe imporia...

Levanta para abraçar a noite, pelo menos!

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 14/06/2006
Código do texto: T175107
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120249 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 05:16)
Peixão