Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ADEUS QUE ME VOU EMBORA

Poema baseado na letra (a que “pedi emprestado” o nome) e na música do grande, imenso António Variações, para mim o maior de todos os cantores que a moderna musica portuguesa soube gerar, e que num dia triste e sombrio de 1984 tão prematuramente nos deixou
À Sónia Borboleta Rainha porque foi depois de uma doce conversa que me inspirei para as seguintes palavras
ADEUS QUE ME VOU EMBORA

Parto para as estrelas
De onde um dia cheguei até aqui
Parto nas nuvens
Parto feliz

Adeus que me vou embora

E levo comigo
A tua recordação
Junto da alma
Mas ainda mais perto do coração

Adeus que me vou embora

Mundos e terras
Por aqui descobri
Amei como em lado nenhum
Mas também assim sofri

Adeus que me vou embora

Aprendi por estes lados a chorar
Mas também a magia do sorriso
E ao meu lado
Sei que te levo comigo

Adeus que me vou embora

Nos livros aprendi a arte
De com os outros crescer
Na música soube
Que ela é a única coisa
A que uma alma se deve render

Adeus que me vou embora

Parto para longe
E ainda não sei o meu destino
Parto radiante
E não por castigo
Porque há uma altura
Em que tudo morre
Tudo deve voltar a nascer
E chegou a altura
De ir para outros lados crescer

Adeus que me vou embora
Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 14/06/2006
Código do texto: T175593

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5079 textos (170383 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:43)
Miguel Patrício Gomes