Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cadê a poesia?


Tão mais simples é valsar,
Tão mais bonito é contemplar sem saudades o infinito.
Cadê a poesia que estava nas minhas mãos?
Cadê os versos que eu desenhei enquanto valsava?
Lambi cada palavra para sentir seu sabor,
Apalpei cada verso para entender seu sentir;
Mas onde está a poesia que cabia na minha boca?
Onde está a melodia que acalmou meus sentidos?
 
Tão mais simples seria rabiscar no vento
Cada ensaio do meu pensamento,
E deixar que se juntassem em harmonia
Onde houvessem ouvidos de ouvir,
Sensibilidade de sentir.
Tão mais bonito seria dedilhar silêncios cantantes,
Que musicassem ao sabor do entendimento casual
Sem compromissos de forma, som ou melodia.
Mas em que página ficaram as palavras?
Em que hora se foi a inspiração?
 
Não me basta o olhar perdido,
O coração aos pulos, nem a alma em transe.
Não me valem papéis, teclas e tinta de tantas cores
Se não se acham palavras e às pontas dos dedos.
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 16/06/2006
Código do texto: T176891

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55639 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 07:41)
Angélica Teresa Almstadter