Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TROVAS-18

A lona foi descerrada
pelo último amanhecer;
fantasias enterradas
ao seu desaparecer

Uma jornada acabou
quando a lona aterrissou;
mais além recomeçou
quando outra lona se içou

O trabalhador constrói
a face de um Brasil novo;
o ocioso vem e destrói
o patrimônio do povo

Cautelosa, presunçosa,
amargurada e fugaz
amante é sempre maldosa
convencida e pertinaz

Misericordioso é Deus
que fez bela a Criação;
amparando os filhos seus
com inteligência  e razão

Numa sexta-feira treze
noite de superstição
enfrentar ninguém se atreve
um lobisomem em ação

Perdidamente me vou
gamado pela paixão;
pois sinto o suor do calor
da cegueira e da ilusão

O fino da bandidagem
habita o Rio de Janeiro
onde a esperteza e vadiagem
são costumes corriqueiros

Hoje a Música erudita
canta parabéns de novo
no centenário da vida
do maestro Villa-Lobos
Zecar
Enviado por Zecar em 18/05/2005
Código do texto: T17704
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Zecar
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
249 textos (20151 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:56)
Zecar