Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Últimos versos

Sinto os olhos mortificados e úmidos.
Rogo que o féretro seja pomposo
Sempre fui honrado, calado e tímido.

Na agudeza viçosa da juventude,
Cantei e orei sempre orgulhoso
De minhas palavras e virtudes.

Agora, homem feito e impoluto,
Encrencado neste catre de lona forte,
Crivado de manchas de mal-bruto,
Vejo que só me resta o hálito da morte.

Quando no jazigo estiver apodrecido,
Escreva um verso na pedra tumular.
Alguma coisa que eu tenha redigido.
Se puder minta que fui poeta exemplar.
Pedro Cardoso DF
Enviado por Pedro Cardoso DF em 21/06/2006
Código do texto: T179589
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Cardoso DF
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 68 anos
4323 textos (94869 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:45)
Pedro Cardoso DF