Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Diário Poético 27/12/05



 

Este lago não era daqui,

Pertencia algures a outro céu,

A esse reflexo de tristeza de outro mundo,

Das coisas que nunca deviam ser,

Trouxeram-me certos anjos esta dor profunda,

Ficou esta noite fria e um olhar longínquo

No barco que partia.

 

Remexi os bolsos, encontrei estes trocados,

Estes pequreníssimos espelhos partidos,

E a saudade como um silvo tremendo subindo toda a água.

 

Não há fim para a tenebrosa dor,

Nem o começo dos outros céus que existem nos outros lagos.

 

Só esta barca de um só lugar e uma vela por abrir.

 

 

Constantino Mendes Alves
Enviado por Constantino Mendes Alves em 23/06/2006
Código do texto: T181037
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Constantino Mendes Alves
Portugal
324 textos (3787 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:05)
Constantino Mendes Alves