Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TROVAS-26

Certa vez dei um lencinho
para um chorão enxugar-se;
sem querer já fiz beicinho
pondo outro lenço a encharcar-se.

Era uma vez belo dia
nascendo pra todos nós;
só que a esperança e a alegria
passaram em sonho veloz.

Era uma vez a vaidade
do homem a prevalecer
querendo impor a maldade
 e o ser humano esquecer.

Era uma vez outros tempos
em que os valores morais
vigiavam juntos, atentos
decepcionando, jamais.

O Brasil está emperrado
precisando de oração:
Há ladrão pra todo lado
e por cima a corrupção.

O meu imposto a pagar
desta vez capitulou
querendo de mim tirar
o que o bolso não ganhou.

Os homens perderam toda
a sensação de pudor
querendo esquecer nesta onda
o que o passado deixou.

Do jeito que as coisas vão
não se pode mais prever;
só agüentaremos a mão
se um milagre acontecer.

No meio da minha rua
um coqueirinho nasceu;
apesar de quem o água
um coquinho já me deus.
Zecar
Enviado por Zecar em 20/05/2005
Reeditado em 24/06/2016
Código do texto: T18123
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Zecar
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
249 textos (20144 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:26)
Zecar