Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Falam tanto em costela... (tercetos)

Falam tanto da costela
Como se tudo viesse dela
Antes mesmo que fosse barro
Outra cria, olho e sarro
Mal-fada como vinheta
Como luz e ampulheta
No meio da escuridão
Nunca vi tal explosão
De macho e femea vem aplique
Maçã, cobra, outro xilique
Com tudo que passou, água
Noé ganhou um "ele", água
Com gelo, Sol & Lua, árido
Mensagens de costela, ávido
Macho & fêmea por exclusão
Só, maltrapilho, coração...

Esqueceram de inventar explicação!

Peixão89
Um terceto em parceria com a escritora Maria Limeira "Naturalmente, sei" e  o poeta Ricardo Pisoler "Sinceramente, não sei".

Sinceramente, não sei.
(r.pisoler)

Sinceramente, não sei.
Deus criou o homem, tudo bem,
dá até pra entender.
Mas aí, Deus criou a mulher, bem...
Não dá mais pra entender.
Tão formosa, tão pura...
Deus do céu! Com a ajuda de quem?
"Dizem que foi de uma costela do Adão.
Sinceramente, não sei.
Duvido muito...
Se não foi todo descostelado o Adão
deve ter vindo ajuda de tudo quanto é
constelação!

NATURALMENTE, EU SEI
Maria José Limeira

Mulher é fruto de uma estrela fêmea
com milhares de astros machos.
No momento da maior felicidade,
quando não havia se inaugurado
nenhuma cidade,
e o homem era feliz,
em seu país,
melher levantou divergência.
Instalou-se a mal-querência.
E... adeus Paraíso!
Naturalmente, eu sei
como tudo se passou.
Eu estava lá.
Vi tudo.
Vi cobra, maçã, e Adão mudo.
Pasmo!
Peixão
Enviado por Peixão em 20/05/2005
Código do texto: T18190
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120250 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:45)
Peixão