Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ao amor maior

Eu, não serei  poeta descrente de sonhos, amante do amor maior,
Mas caminharei com passos firmes no chão, da vaidade das crianças,
Olhando a dura realidade, do sol e da chuva, do inverno e do verão,
Que sem piedade, no campo ou na cidade, acariciam os corações.

Eu, não maltratarei a mulher amada, pelo óbvio  lutarei, feia ou bonita,
Aos olhos dos “narcisistas”, direi sempre a verdade mesmo que por
Ela tenha de pagar alto preço, que se vestem da aparência dum rei no
Reinado,  trabalharei e esse  onus pagarei  enaltecendo a sinceridade.

Mas, ainda que o mundo caia sobre mim, fiel ao amor sempre serei.
Atravessarei mares e larvas de vulcão, ao filho desorientado na vida
Fiel serei, mesmo que precise da ajuda de alguém, recorrerei meus
Ancestrais, lutarei com todas as garras como se fosse um leão.

Se as mãos cálidas da noite não me aquecerem e o dia não
Amanhecer, frio também não sentirei, o sol estará brilhando para o inatingível amor maior, que na alma levarei para  viver à eternidade, pois na inexistência nada serei, nem anjo nem demônio, talvez  só um mensageiro da bondade.

Em Ponte Coberta, junto ao regato onde nasci, na fonte água beberei, flutuarei sobre o brejo, de lama não me sujarei, entrarei em todas as casas, nas águas límpidas do rio banharei, mesmo se portas e janelas fechadas estiverem, visitarei todos, inclusive a moça, agora adulta que morrendo de amor um dia deixei.

Se, por acaso, a chuva cair forte, eu me sentir por ela agredido, abrigarei-me sobre a Cobertura da Ponte, de olho no horizonte esperarei até o dilúvio passar e no vento calmo da serra do grande Matipozinho, não estarei mais sozinho sobre o granizo da chuva forte que acabou de cair.

Na essência de minha alma, até então a vagar, muita paz e amor a todos pedirei, reeducarei o prisioneiro pondo-o a trabalhar em prol duma vida melhor e voando feito maritaca ou rouxinol, buscarei na simplicidade das montanhas a verdade deste doce e primoroso amor maior.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 26/06/2006
Reeditado em 27/06/2006
Código do texto: T182691
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3129 textos (79583 leituras)
2 e-livros (393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 11:13)
R J Cardoso