Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Outono



 

decompõe-se o fruto, abre-se a terra à semente,

abre-se a vereda do frio,

cozinha-se um pão quente no peito,

constrói-se um relicário lento da verdade,

as folhas de plátano caídas declinam o sol,

há uma estrada de solidão em frente,

espero o meu amor às sete.

 

atira-se lentamente lenha para o coração,

as janelas pintam-se de cobre,

 

 

a melancolia é um precípicio sagrado,

uma linha de cegueira  cobre a manta do sono.

 

preparamo-nos de sonâmbulos para a frente!

Constantino Mendes Alves
Enviado por Constantino Mendes Alves em 26/06/2006
Código do texto: T182762
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Constantino Mendes Alves
Portugal
324 textos (3787 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:13)
Constantino Mendes Alves