Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LINHAS E ENTRELINHAS

 
   Linhas azuis, linhas paralelas,
   simetricamente guardais
   as flores em palavras brandas,
   os risos em sequências coloridas,
   as dores em ziguezagues cruéis.
   Por tantas vezes trilhei vossos caminhos,
   e do velho, e do novo
   e do triste ou patético
   entrelaçar de idéias,
   fostes sempre o caminho a seguir,
   a trilha limpa e acolhedora de meus devaneios.
   Linhas azuis que serenamente vos postais
   à espera de que minha mão desenhe em vós
   o traçado de minh'alma:
   ora um tormento a me dilacerar as carnes,
   ora uma explosão de amor, ou tédio,
   ou fúria incontrolada.
   Linhas tão tênues
   e no entanto  aguardais,
   como o lago manso aguarda o suicida.
   Não vos darei todo o meu sangue
   nem todas as minhas entranhas.
   Serei cautelosa...
   Não vos darei todas as minhas verdades
   nem minhas incertezas mais profundas.
   Linhas azuis, por que estais sempre a me tentar
   A me ofertar  vosso leito confortante?
   E eu qual mariposa bêbada
   diante dessa luz translúcida,
   beberei novamente desse veneno
   e sobre as águas límpidas vomitarei.
   Não sobrará sequer um ai,
   ao teu fascínio não resistirei.
   Linhas azuis que como a lua aguarda a noite
   me aguardais,
   que como os pássaros tendes sempre o rumo certo,
   a vós sem luta muita não me entregarei,
   a vós sem esse heróico e inútil freio
   não caminharei.
   Mas é tão doce nesse manso lago deslizar,
   do coração tantas palavras escorrendo,
   pro vosso leito e em folhas brancas eu desenho,
   dizendo certo por caminhos tortuosos,
   dizendo mais talvez nas brancas linhas...
   Se é meu destino em vós deixar palavras,
   meu ser inteiro se alvoroça e treme
   qual revoar de insetos na clareira.
   Assim de vós eu sei, já sou escrava,
   vosso regaço é meu repouso e meu conforto,
   temos agora acordo tácito firmado:
   mergulharei pra sempre nessas águas calmas
   e encontrarei em vós o norte desta estrada.
   
   
   
tania orsi vargas
Enviado por tania orsi vargas em 27/06/2006
Reeditado em 14/04/2008
Código do texto: T183182
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
tania orsi vargas
Taquara - Rio Grande do Sul - Brasil
740 textos (50109 leituras)
4 áudios (506 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 18:12)
tania orsi vargas