Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Caminhante


 
Conheci um dia um excepcional trovador
que caminhava pela vida em busca do sol.
E toda vez que se aproximava do astro real
algo fazia voltá-lo atrás,
porquanto sua estirpe
sempre combatia o mal.
 
Parecia que seu coração ansiava
por mover o mundo com mil pensamentos
querendo lutar por verdades,  justiça e paz
mas sentia-se cada vez mais,
 amargurado e incapaz.
Seu pobre coração não conhecia a paz.
 
Sempre buscava ser aquela pessoa
perfeita e singular
Singular em sua essência, o que sabia ser apreciado e querido por muita gente.
Perfeito nem sempre, mas em seu sonhar
idealizava a evolução do ser
e buscava caminhos para sua verdade  estabelecer.
 
Olhava a luta da vida e das criaturas
e percebia monstros e aleijões se degladiando
pela conquista dos seres humanos
honrarias, vaidades, rótulos e serventias
tudo tinha um valor de contexto
assim as criaturas no palco da vida
desempenhavam seus papéis de guarida
 
Mas pensava o trovador,
como as criaturas podem ser felizes
neste mundão de Deus
se tanta coisa falta para o oprimido
e tanto sobra na mesa do bandido.
 
E este trovador que tinha tudo
para cantar a vida em prosa e versos
mostrando a Beleza e a Alegria,
possuia em seu coração de ouro
toda a solidariedade para com o mundo em que vivia,
não se alimentando só da fantasia.
 
E percebia que as injustiças grassam
e os seres
humanos à mercê dos poderosos
lutam com garra por manterem sua
sobrevivência
e a condição de dignidade tão necessária
que lhes garanta um sentido de vida,
nem que seja visionária.
 
Mas um dia vi este trovador chorando
solitário numa praia tempestuosa
agachado sobre si mesmo,
 rosto escondido do mundo,
procurando desesperadamente
os seus sonhos, desde o mais leve até o mais profundo.
 
Onde foi que aconteceu a grande ruptura
quando foi que seu coração parou de se alegrar
como foi que tudo aconteceu,
onde e em que momento se perdeu.
 
Se viu caminhante pela vida afora
entre amores e desamores,
mil tempestades da alma
a lhe assolarem o coração inquieto,
ele chorou buscando no fundo do peito
a angústia de tantos passos certos e incertos,
para desvelar em tempo seus monstros descobertos.
 
E a mágica da vida se fez, algo surgiu do acaso
a lhe temperar os dias e as noites
uma fada brilhante que observa os humanos
e com sua varinha mágica os toca levemente nos ombros
e os faz despertar de seu sono de cem anos de solidão
viu aquele trovador tão triste
e colocou sua poção mágica em riste.
 
E soprou em seus ouvidos
enquanto ele dormia:
-  trovador tu que cantas a beleza da vida e dos amores
em forma tão poética, sejas no mundo um mensageiro da paz,
deixes que a justiça divina se encarregue
de estabelecer as metas.
 
Tu nasceste para ser um anjo de luz
deixe as batalhas para os outros,
tu já fizeste a tua parte,
olha para dentro do teu coração e extrai dele todo amor e paixão
e os coloque a serviço da vida.
 
E acima de tudo busca a tua felicidade e
a paz do teu coração,
pois somente a amorosidade é capaz de devolver a quem quer que seja,
a harmonia que a alma traz como bandeira a ser desfraldada.
 
Sigas levantando a tua bandeira de paz,
numa trégua de luz branca,
que irá envolver a tudo e a todos,
num imenso círculo de amor e amizade,
porquanto a lança do perdão
é o beneplácito do bem viver
daquele que tem olhos para ver.
 
Santos, SP 13/03/06
 
Palavras dedicadas aos amigos que lutam bravamente por seus ideais,às vezes sacrificando a própria vida pessoal, o que faz com que sejam sempre muito amados.
Beijos no coração
Guida
 

Guida Linhares
Enviado por Guida Linhares em 27/06/2006
Código do texto: T183490
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Guida Linhares
Santos - São Paulo - Brasil, 70 anos
1939 textos (158425 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:41)
Guida Linhares

Site do Escritor