Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALVORADA

lisieux

Misturo-me aos tons da alva e me diluo na luz
que desvirginiza a calma madrugada.
Quando o dia desperta, nele eu me integro,
partícula da mesma claridade que do sol emana.
Esparramo-me liqüefeita sobre a relva, parte
também da terra úmida, madre, fecunda...
e me deixo absorver por ela. Transmuto-me em
seiva, alimento e, no seu seio, pulso.
Vida!
E fico a interrogar-me como os podem os dias
sobreviver às trevas e renascerem, tão iguais;
os mesmos sons e cores; mesma artística paleta
de luz, se o teu sorriso há muito se apagou
e já não mais me conduz...
BH - 14.12.04
lisieux
Enviado por lisieux em 21/05/2005
Código do texto: T18418
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lisieux
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 61 anos
394 textos (14454 leituras)
3 e-livros (409 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:35)
lisieux