Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

EXERCICIO



Os dias sempre foram iguais
Às noites que sempre foram desiguais
Aos dias que sempre foram desiguais
Às noites que sempre foram iguais

Os dias que foram sim
Foram noites que foram não
Quando os dias que foram não
Eram as noites que foram sim

Os dias que se deram bem
Foram noites que se deram mal
Quando os dias que se deram mal
Foram noites que se deram bem

Os dias sempre foram normais
Às noites que sempre foram anormais
Aos dias que sempre foram anormais
Às noites que sempre foram normais.

Meça. Com uam régua sem números
Peça. Com uma boca sem palavras
Desça. Com uns pés sem solas
Teça. Com uma agulha sem ponta

Porque

Os dias sempre foram réguas
Às noites que sempre foram bocas
Aos dias que sempre foram pés
Às noites que sempre foram agulhas.

Faça isso. Sempre isso.
Noite e dia. Sem cessar.


Preto Moreno

















Preto Moreno
Enviado por Preto Moreno em 29/06/2006
Código do texto: T184555

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Orivaldo Grandizoli). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Preto Moreno
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
6780 textos (102529 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 13:57)