Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Anacrônica

Anacrônica

Às vezes fico de mal comigo mesma
dou a impressão de distante, irônica ou rígida
é timidez, hipocondria ou contração
não liberada
inúmeros pesadelos
leva-me a desviar
verdadeira emoção...

Por vezes sinto-me anacrônica
defasada no tempo
artigo fora de circulação
precipitada em alguns minutos
inadequada estreito espaço
em determinadas ocasiões...

Receptiva às mudanças da época
nada me escandaliza
nada absolutizo
tudo é relativo
não obstante resguardo-me
deixo que outrem as concretizem...

Não postulo ambiçoes objetivas
feminista? retrógrada? avançada?
só se espontaneamente às vezes transpareço
entre pessoas e coisas que se integrem
liberdade em primeiro plano
democracia dos desenganos
gosto de ser útil e sempre sensível...

Fico sempre na reserva
meu cantinho refletindo calada
prudência e perspicácia
conheço tudo, tudo devasso
capto mediocridades e belezas
do impenetrável psiquismo humano...

No fundo, sem radicalismos
nem neuroses de personalidade fixa
nem moderna, nem antiga
nada pré-fabricado, nada de rótulos
definidos
tudo depende do momento
da postura exigida, sentida
da atmosfera povoada...

Na realidade não busco padrão
nem fórmula especial
como a natureza me fez
aceito tudo natural
só queria uma coisa: Ser Feliz
sem receios, Amada
aí, qualquer mulher
sente-se Ideal!


maria do socorro cardoso xavier
Enviado por maria do socorro cardoso xavier em 30/06/2006
Código do texto: T184831
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
maria do socorro cardoso xavier
Campina Grande - Paraíba - Brasil
317 textos (22485 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:43)
maria do socorro cardoso xavier