Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Reagir


Quem já se equilibrou  à beira do abismo
Quem se quedou ao chão, humilhado
Implorou sem ser ouvido
É cônscio dos percalços de viver
Sabe bem o que significa
Valer menos que mordida em pão bolorento
Valer menos que arroto, que saliva
E escarro na escada da estação
Não ser convidado para festas
Entrar pela porta de serviço
Ser por Deus castigado
Pelos seus renegado.

E, apesar de tudo, vivo está
É preciso, bem depressa
Levantar-se
Reagir
Procurar nunca mais rastejar
Nunca mais se entregar
Nunca mais se dobrar
Afastar-se  de ilusões, emoções
Que afastam o andarilho
Da estrada lateral
Que esta vida não permite, não consente
Que infelizes suas lágrimas justifiquem
Que os tolos inocentes se desculpem
Que os fracos se omitam.


       
vitória Paterna
Enviado por vitória Paterna em 03/07/2006
Código do texto: T186515
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
vitória Paterna
Santo André - São Paulo - Brasil, 63 anos
133 textos (8673 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:34)
vitória Paterna