Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desolação

lisieux

Se toda porta se me fecha eu vejo
uma barreira fria, à minha frente
e sigo só, tal qual uma demente
lançando ao mundo o meu triste solfejo

Escuto as sombras a dizer-me: louca!
Não percebeste o abismo em que caías?
A vida te prendia e tu não vias
e havia uma mordaça em tua boca!

E agora que tu queres libertar
o grito da garganta e caminhar
sem os grilhões que te prendiam os pés

tarde se faz...porque ficaste velha...
Tu já não podes mais soltar a relha
e uma tristonha sombra é o que tu és!

 BH 21.09.03 (19h10m)

 Resposta a Reconstrução, de Roberto Cônsoli
lisieux
Enviado por lisieux em 21/05/2005
Código do texto: T18665
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lisieux
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 61 anos
394 textos (14454 leituras)
3 e-livros (409 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 15:53)
lisieux