Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

IL SANTO DI TUTTO IL MONDO


 
 Nascera Fernando Martins de Bolhões,
Em 15 de agosto, Assunção de Nossa Senhora;
Tanto em outros tempos, como no agora...
Suas palavras, seu exemplo, inspiram a milhões!
 
 
Desde a Sua mais tenra idade,
Vivenciada nas terras de Lisboa,
Sem nunca se subjugar à loa,
Deu provas de sua religiosidade!
 
 
Viveu ao lume da palavra de Deus
E assentindo ao chamado do Altíssimo,
Trazendo consigo, coração puríssimo,
Deixou prontamente aos seus!
 
 
Tomado de tormentos e crises,
Buscou a paz em São Vicente de Fora.
A provação divina, por vezes demora,
Durou ela, muito mais que seus quinzes!
 
 
Pelos vinte, fez-se Cônego Regrante,
No mesmo lugar, onde buscara a paz.
Sua incontida ânsia e retidão tenaz,
Foi impelindo-o a outro local importante!
 
 
Ao Mosteiro de Santa Cruz, mudou-se.
Em Coimbra, fixou-se em morada,
E aos Frades Menores, fez sua entrada.
Nos Olivais, -Santo Antão- frei colou-se!
 
 
Fernando Martins ficou para trás...
Frade Menor Frei Antônio de Lisboa nasceu;
Antônio – do grego: flor, lírio...Conheceu...
 A pureza de que seu corpo que Ele foi capaz!
 
 
Sua alma inquieta sonhava com mouros...
E ao Marrocos, pôs-se a partir...
Mas, lá chegando, febre começou a sentir,
Em África, não teve sucesso ou louros!
 
 
Arribou à Sicília, arrastado por tempestades.
Mas Sua ânsia de evangelização ficou maculada,
Não sabia ele, que Deus ofertara, outra jornada;
Com o Poverello de Assis, trocaria lealdades!
 
 
 
Retirou-se ao eremitório de Montepaólo,
Buscando elevar Sua humildade
Aumentando assim Sua santidade,
Tudo a Lhe servir de consolo!
 
 
Num resvalo de Sua ínfima modéstia,
Em Forlívio, tomou a Si uma pregação...
Causando a seus pares, tamanha admiração.
Desse dia, pregador, seguiu como réstia!
 
 
Ensinou em Bolonha, eremitório dos frades.
Cruzou terras, a converter hereges,
Em França: Montpellier, Tolouse e Limoges...
Sempre a evangelizar, como os irmãos padres!
 
 
Já mais velho, em Pádua, com louvor,
Escreveu os belos Sermões Dominicais
Exercendo, também, os deveres sacerdotais.
Esta urbe adotou-o com muito amor!
 
 
De tantas idas e vindas, seu corpo enfraqueceu.
Ainda assim, a seus deveres não deixou.
 Tempo depois, em Camposampiero se retirou.
E ali, sua vida a Deus, agradeceu!
 
 
Sua morte deu-se em Arcela.
Junto a seu esquife compareceu a população.
Ante ao Santo morto, ela levada foi à compunção.
Não houve homem algum, de vida tão bela!
 
 
A sua partida, milagres se sucederam.
Tantos e tantos, impossíveis de contar...
Lembrança viva, a fé do povo a aumentar.
E, em 1232, ao Santo se renderam!
 
Foi solenemente, por Gregório IX, canonizado.
Ao altar-mor das catedrais, ele subiu.
Nem como Santo, à loa sucumbiu...
Por povos da Cristandade, é até hoje reverenciado!


Julho/2004
 
PS:Uma homenagem à figura humana de Santo Antônio, sem nenhuma conotação religiosa.

Denise Severgnini
Enviado por Denise Severgnini em 18/01/2005
Código do texto: T1873

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Denise de Souza Severgnini http://www.denisesevergnini.recantodasletras.com.br) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Denise Severgnini
Novo Hamburgo - Rio Grande do Sul - Brasil, 57 anos
11345 textos (915618 leituras)
16 áudios (8876 audições)
311 e-livros (34052 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/10/16 15:54)
Denise Severgnini