Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fio tênue da vida

"Dêste jeito Deus me quis / E assim eu me sinto bem; / Me considero feliz / Sem nunca invejá quem tem / Profundo conhecimento. / Ou ligêro como o vento / Ou divagá como a lêsma, / Tudo sofre a mesma prova, / Vai batê na fria cova;
Esta vida é sempre a mesma" (Aos poetas clássicos - Patativa do Assaré - http://www.revista.agulha.nom.br/anton.html)

********************************

O que me incomoda à frio
Não é a  estrada sedenta;
Meu corpo cedo agoenta
O calor que cozinha o estio.

O que me condena de dia
É o halo da compostura
Daquele de boa leitura
Que tudo atura em harmonia.

O rebento se esmera na noite
Em crua e casta filosofia,
Retinas não vêem a sangria
Da dor que chega de acoite.

Na busca raivosa e difusa
Nos francos do enganamento
Vive o corpo em sofrimento
Com a alma sombria confusa.

Assim, adormeço como cotovia
Fugindo de pássaros da noite
Que se degolam no fio tênue
Dessas dores de cada dia.

............................................

Alguém me diz: És um louco...!
E nessa brisa de insanidade
Que condena qualquer maldade
Só quero viver mais um pouco.



Kal Angelus
Enviado por Kal Angelus em 06/07/2006
Código do texto: T188462
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Kal Angelus
Teresina - Piauí - Brasil
322 textos (9131 leituras)
1 e-livros (4 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 09:49)
Kal Angelus