Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mel dos Inocentes

Na praça amena,
cheia de luzes, pipocas e doces,
cheia de crianças e arcanjos,
batida de vento
fico eu sentado a pensar:
cômodo como uma vela apagada,
relapso como um vento calmo:
como pôde tudo isso acontecer?

O ontem virar hoje,
e o hoje se tornar tão lento
e pesaroso
como uma pedra sem dono?

Minhas amada, desmedida,
partiu levando minha alma.

E estou eu
sem o doce,
com o espírito sem cruz,
a vida
sem restos.

Minha esperança, deixou no vão,
na calçada dos insonssos!
Meu desejo cruxificado em
pães dormidos,
em clarinetas sem maestros,
e, digo de sempre,
lá prá frente,
para os que chegam.

Mel dos inocentes!
onde o amor trai uma vez
nos afoga prá sempre.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 11/07/2006
Código do texto: T191621
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26777 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:29)
José Kappel