Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SANGRANDO A POESIA EM DOSES HOMEOPÁTICAS

Ando buscando a poesia
que tenha a palavra exata,
a medida indiscutível,
que escancare a alegria,
que vá abrindo feridas.
Tudo na mesma medida.
Na busca, já fiz de tudo:
rasguei o peito, abri a alma,
na raça, arranquei os escudos,
arranquei cabelos, perdi a calma,
e isso ainda não é tudo.
Sem resultado.
Não tem palavra exata
que funcione bem na prática.
No máximo, a gente empata.
Poesia não é matemática.
Enquanto não acho o jeito,
mantenho rasgado o peito,
deixo cortados os pulsos,
e ela segue seu fluxo.
Vai sangrando.
Homeopaticamente.
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 23/05/2005
Código do texto: T19191

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154013 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:16)
Débora Denadai