Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sementes da noite

    Novamente a noite fria
    divide o dia, divide a gente
    noite que surge da mente
    derrepente quanto o susto.
    Como o veneno no sangue,
    como o olho do deus sol.
    Vem o medo da noite
    invadir meus sonhos e
    cegar-me os olhos.
    Ao meu lado um anjo cego,
    em meio ao escuro,
    escuro do meu coração,
    um anjo belo e triste
    que vela o meu sono e
    violenta mimha alma.
    O medo da noite me faz chorar
    e lembrar da tua face pálida;
    Há uma serpente em meus sonhos
    em teus olhos verdes: nossas dores
    e em teu ventre a gente,
    nossa mente e semente
    do medo da noite.
   

   
   
Rivelino Matos
Enviado por Rivelino Matos em 11/07/2006
Reeditado em 31/12/2007
Código do texto: T192079

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rivelino Matos
Euclides da Cunha - Bahia - Brasil
124 textos (6775 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:38)
Rivelino Matos