Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Minhas Estações

"...Tantos caminhos desencontrados.
Tantas coisas pela metade.
 Sem fim. Sem fundamento.
Quanto tempo perdi,
tentando me livrar da própria verdade.
Quanto menti pra mim mesma
abandonando meu refúgio
sincero e essencial...
Não sei se sobrevivi .
Não sei se ainda estou aqui.
Me vejo, me sinto,
 mas estou oca de alma,
de coração, de sentimento...
Sou tão sozinha quanto um João de Barro
ferido no seu amor.
Sou feito um arco-iris desgastando
 as cores no fim do mundo,
sem ninguém pra testemunhar...
Sou uma canção  nostálgica e longa
 daquelas que se ouve
 sem que se saiba bem de onde vem...
 Estou esperando alguma coisa
que não sei se virá. Alegre ou triste.
 Sem imagens que alimentem meus olhos...
É como se o inverno ainda não tivesse terminado
 e eu fosse, já,  uma folha seca,
 sendo levada pelo vento pra bem longe de voce...
Com outro alguém me despertando
 antes do início da próxima primavera..."
Sonia Pallone
Enviado por Sonia Pallone em 24/05/2005
Código do texto: T19213

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ex: cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sonia Pallone
Atibaia - São Paulo - Brasil, 65 anos
277 textos (18116 leituras)
2 e-livros (160 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:05)
Sonia Pallone