Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PIETÁ

a coisa mais bela do mundo
[perdoem-me mulheres bem determinadas]
é uma amada quase arrependida;
pois nela é onde mora
o primeiro grande silêncio do pensar com emoção.
Dentro dela não há mais gritos nem suspiros,
mas sim, uma paz meia tonta
que acordará sem as ressacas do amanhã,
pronta para toda e qualquer decisão
que só as mulheres confortadas
num estado da pura graça
[entre o peito e o braço do homem que a ouve calada]
bem-ninada.

a coisa mais bela do mundo
[perdoem-me mulheres de certezas absurdas]
é uma amada quase arrependida;
pois nela é onde se acha
o primeiro grande encanto, mesmo que guardado.
Dentro dela não há mais originais nem virgens,
mas sim, um homem incompleto
culpado pelos mal-feitos em meio a falhas,
a sugar os bicos da mãe-piedade
num estado de volta à vida
[entre o colo e o cantar da mulher de olhar de abajur]
bem-nascido.

a coisa mais bela do mundo
[perdoem-me mulheres cheias de definições inflexíveis]
é uma amada quase arrependida
com toda a pureza da Maria, minha empregada
que amamenta seu recém-nascido macho bem diante de mim
como se os meus olhos expiassem seus pecados.

Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 14/07/2006
Código do texto: T194270
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19522 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 23:44)
Djalma Filho