Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Identidade

Sou a chama que arde na tarde,
tão distante!
Sou cama que acolhe,
qual molhe,
um amante!
Sou água nascente,
corrente de mágoa!
Sou vulcão,
torrente de sinuosa lava!
Sou raio de Sol,
na bruma cerrada!
Sou nau assombrada,
em escura enseada!
Sou chuva,sou vento,
Sou dor e tormento!
Sou estupor e a dor!
Sou lança, Sou arco,
Sou cor de esperança!
Sou suspiro, sou grito,
sou um gesto aflito!
Sou boia, sou ancora,
sou bote de papel!
Sou vaga revolta,
sou névoa à solta,
sou a perdição!
Sou femea,sou mãe,
sou amante-amada !
Sou íngreme Estrada,
Que te leva ao nada!
Sou tudo isso,
E nada quis ser!
Nem poeta sou…
Apenas Mulher!
Aguarela Matizada
Enviado por Aguarela Matizada em 17/07/2006
Reeditado em 18/05/2010
Código do texto: T195662

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aguarela Matizada
Brisbane - Queensland - Austrália, 57 anos
266 textos (10830 leituras)
8 áudios (206 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:21)
Aguarela Matizada