Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desça do pedestal da dor


E se não acha as respostas
para as perguntas
que sua alma joga ao vento
em cada instante de angústia,
não há porque desesperar.

O tempo passa
tal qual a luz do sol
que nasce todas as manhãs
e se põem
ao entardecer do dia.

Vai lá!

Desce do pedestal de tua dor
e desnuda tua alma
diante do milagre da vida
que traz a cura
e renova a esperança.

A angústia e a dor
são companheiras
que não trazem prazer,
mas nos fazem compreender
o porque de estarmos vivos
após a lança cavar essas feridas
tão profundas em nossa alma
já tão cansada das querências
de nossa vida.

Caminha!

Para a aurora
e o resplandecer
de um novo dia
em tua vida.

Você já sabe quem é.
Já te disseram
porque estás aqui.
Agora é só deixar
a ferida do conhecimento
de si mesma parar de doer.
Maria
Enviado por Maria em 19/07/2006
Reeditado em 19/07/2006
Código do texto: T197195
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
4552 textos (185997 leituras)
1 e-livros (103 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:38)
Maria

Site do Escritor