Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poesia

Poesia que nasce rasgando-me as entranhas,
Entre as lágrimas das minhas verdades...
Pisando a terra bruta, desconexa, tão incerta,
Derrubando muros de inverdades e vaidades...
 
Poesia que grita nos recônditos da minha alma,
Que reclama a falta de afeto, de um mundo louco,
De homens sem fé, sem caráter, sem rumo...
Que em seus versos nasce e morre um pouco...
 
Poesia que quer sonhar ainda, quer vibrar em suas
Rimas... em sua melodia de amor pulsante...
Mostrando a cara da vida, o outro lado da morte...
Ainda cobra sonhos, esperança a cada instante...
 
Poesia que me faz visionária, missionária do afeto,
Caminhando pelos orbes escuros, empedernidos,
Pedindo união,  paz... levando claridade... luz...
Fazendo-me gritar... em nome dos desvalidos...
 
Vamos então poesia, vamos falar aos corações
Descrentes... onde o amor não mais arde...
E tudo o que lhes resta é a tenebrosa noite...
Vamos poesia, antes que seja muito tarde!
Mary Trujillo
© 08.07.2006
 
Respeite os direitos autorais
Mary Trujillo
Enviado por Mary Trujillo em 20/07/2006
Reeditado em 20/07/2006
Código do texto: T198403

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mary Trujillo
São Paulo - São Paulo - Brasil
387 textos (25776 leituras)
41 áudios (1840 audições)
8 e-livros (1171 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 06:59)
Mary Trujillo