Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pra Onde Vai?

Extremamente atraente,
assim você é,
meiga, terna,
desabando sempre
o ser feliz,
criando sempre
uma novo querubim.

Perceber até que é fácil;
vivenciar este milagre
é doloroso.
 
Praticá-lo, pior.

Porque há percas
e danos.
Dores mancebas!

Não porque seja diferente
as diferenças são apenas
pontos nesta colcha de
ternuras e apanágios
sem horas.
Sem velas e santos!

Falo do ser feliz
em tê-la.
Obrigado por isso,
desculpe o atraso!

Falo de coisas íntimas
falo do início e do
fim das coisas:
coisas difíceis,
para um homem
jogar com sentimentos
ou ser servido em seu prato.

Se falo é que amacio,
se quero é porque
conquisto.
 
E se conquisto,eu tenho.
Mas perco. O tempo já
é mercador de minhas
lembranças.

Assim ajuizado de pequenas
dores,
vejo os dias passsarem
e com eles você
se dissipar:
como uma águia que
rompe o horizonte
até as bordas do último céu.

Se tive, não me arrependo:
fui descobrir tarde demais.
O tempo é cuidadoso, bom
e valente.
Deixa para afagar e trair
no final das horas.

Se sofro, sigo sozinho.
O que fazer diante do tempo?
Senão, cabisbaixo, dizer:
Um dia foi milagre
no outro, todo ternura!

Hoje, virou filme passado,
cheio de cadeiras vazias.
Sobrou uma cadeira oca
onde sentam agora só fanstasmas.

E se me perguntam onde estou.
Eu digo lá:
hoje mal sei o que sou!
José Kappel
Enviado por José Kappel em 21/07/2006
Código do texto: T198661
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26778 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 10:09)
José Kappel