Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desconsertante

Angélica T. Almstadter
 
É no gosto da tua boca, que eu me engasgo,
No sabor da tua língua que eu travo,
Que se dane a compostura,
Às favas a mulher madura,
Não me troco pelas ninfetas sem favo,
Quero o gostinho do céu,
Do escorrer do teu mel,
Passeio sem pudores, na tua picardia
Enxugo os suores, controlo a taquicardia;
Me lambuzo ofegante,
Tenho a veia altamente estimulante.
Se me ofertas a face, encho de beijos,
Mas é no regaço, que eu me atrevo;
Sou um poço de desejos.
Não temas, assino o que escrevo,
É meu lema.
Então;
Dê-me as costas e eu te arranho,
Pois sou anjo sem asas.
Me procura, e eu me assanho;
Te levo a perdição,
Rendição;
Pois te ato nos meus enredos,
Te queimo nas minhas brasas,
Se meu ventre tu burilas,
Com dedos agéis e afoitos,
Faço dengo, me abro sem segredos,
Reviro os olhos, dilato as pupilas,
Me esparramo ciciante,
Sussurrante...
Me entrego sem reservas,
Perco os medos,
Assumo a mulher amante fatal;
Preparada e banhada em leite e ervas,
Em nada, nunca, banal.
E enquanto te coloco no pedestal;
Te devoro numa batalha campal,
Magistral...
Até que te rendas exausto,
Colado nos meus seios,
Rendido aos meus anseios,
No meu exclusivo clautro...
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 26/05/2005
Código do texto: T19968

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55630 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:42)
Angélica Teresa Almstadter