Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Submissão

Destravo os inequívocos cochichos,
Vazados nos hiatos que pressupõe;
De nós e das ausências colocadas na balança.
Não presto conta dos caprichos,
Que se amalgamam mais do se supõe,
Essa espera que nunca se cansa,
De mãos atadas no silêncio da noite,
Cubro a pele de conhecido vestígio,
Nem o tempo nem a ameaça do açoite,
Embaçam o brilho da esperança venturosa.
Caçada no vácuo do pretenso caudílio,
Sucumbe a sombra que circunscreve a nebulosa;
Para dar vida a vitória da rainha louca,
Que a guarda restrita dentro da boca.
 
Não existe culpa, não existe pecado,
O engodo da fala que se exaspera,
Tece sua própria teia, carrega fardos e dor,
E nunca sobrevive além do próprio enfado,
Não conhece a legitimidade sincera,
Pois mal se informou da aventura do amor.
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 27/05/2005
Código do texto: T20165

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55643 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:37)
Angélica Teresa Almstadter