Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Parto

Estou com medo do escuro,
Acenda as estrelas e as lanternas,
Não me chamem no púlpito,
Hoje não oro...eu urro...
Tenho frio, enrola-me nos seus braços,
Embala-me com cantigas eternas,
Deixe eu ser rainha, e você meu súdito;
Por um dia, deixa eu fazer de conta,
Que ser gente é tão fácil,
Que viver nem é tão dolorido.
 
 
À meia luz tudo é igual,
Estamos todos na ponta,
E como você, eu sou muito ágil.
Quero encontrar o colorido,
Do meu lado irracional;
Porque quando em versos eu procriar,
Quero fazer em ninhadas,
Quatro, cinco, seis ...dez, doze,
Assim, quando você me filmar,
Vou estar com a tetas inchadas,
Mas feliz em cada pose.
 
 
Deixe-me chocar minhas crias,
No sereno dos seus olhos pequenos.
Enquanto a vida, em mim anuncia,
Que vou parir dezenas de poesias
Afofa o ninho com maestria;
Para acalentar os meus rebentos.
******
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 27/05/2005
Reeditado em 04/01/2006
Código do texto: T20169

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55634 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 11:01)
Angélica Teresa Almstadter