Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Adeus em Cena

Quis certa feita, o cabo ser enxada
Corveta ser fragata,
Eu, aristocrata.

Quis o pincel ser tela,
Avenida, aquarela
A bela ser a fera.

Quis o piano ser desgosto
O barítono, alvoroço
Meu princípio, o teu moço.

No mundo da planta preta,
Tece o porto, afago da peia
O recôndito supro, a meia.

Nossa idade que nos furte a alma
Nem que seja,
Equinócio em dobra calma.

Que nos clama,
Que nos cita,
Que nos possibilita
(no minério da barca)
Sair de cena.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 26/07/2006
Reeditado em 29/07/2006
Código do texto: T202675

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34087 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:46)
Cesar Poletto

Site do Escritor