Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DÊ-ME


Dê-me um café amargo e uma pedra de açúcar.
Um pouco de Tibet, mascável,
Um mascavo pomo de araruta,
Dê-me a fruta comestível do nenúfar.

Gê-me um desvario da colher ensopada.
Um terço e meio de genomas políticos,
O dorso crítico da estatueta de Rodin,
Dê-me o verso hídrico da léxica romã.

Lê-me nauta tácito em concordância.
Um vesgo colibri, penso, biruta,
A fenda à faca feita da fatia omelética,
Dê-me a geléia de girinos em casca bruta.

Sê-me man em qualquer livre palavra.
Um cálice de tonturas, doze, passos,
A biga elétrica que o telefone não auscuta,
Dê-me o dezoito vermelho na roleta rústica.




Preto Moreno
Preto Moreno
Enviado por Preto Moreno em 27/07/2006
Reeditado em 27/07/2006
Código do texto: T203182

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Orivaldo Grandizoli). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Preto Moreno
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
6774 textos (102504 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 14:30)