Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CACOS DE SÍLABAS

Desculpa-me, poesia,
a mulher amada conseguiu vencer!

neste mundo,
o mesmíssimo mundo quase sempre o mesmo,
há ares diferentes de outros tempos.
Apesar de inexplicáveis,
os homens continuam desatentos ante qualquer conquista
mesmo próximos à vontade da paixão,
como no aguardo d’um raio de sol rasgar a vidraça.

Desculpa-me, poesia,
a mulher amada conseguiu vencer!

neste mundo,
o mesmíssimo mundo quase sempre o mesmo,
há cheiros diferentes de outros tempos.
Apesar de impalpáveis,
as mulheres continuam atentas e de cabelos mais curtos
mesmo próximas à vontade da ilusão,
como no aguardo d’um pingo d’água cair na vidraça.

O mundo continua quase sempre o mesmo
[coitado!]
com muito pouco espaço para o amor só sentido em poesia.

quão bom seria, enfim, se o mundo não ficasse
com o jeito de quase sempre o mesmo,
que as vidraças se quebrassem de uma vez por todas,
que o aprendizado à cata do tempo perdido
não viesse com cabelos pra lá de curtos nem com paus pra lá de duros,
sem melaços de cana instantâneos e sem flores de floriculturas.

Desperta, poesia, .
ainda restam mulheres pálidas, sem gosto de sol,
ainda sobram homens sem riso e com gosto de bebida.

apesar deste admirável mundo cheio de vidraças,
desculpe-me poesia:
uma mulher amada venceu!
[tão e tão, tanto e tanto]
que até os cabelos curtos voltaram a crescer,
que até os paus duros voltaram para o caminho de casa.

neste mundo,
o mesmíssimo mundo quase sempre o mesmo,
algumas janelas não mais vestem vidros:
uma mulher amada venceu!

a poesia,
em segundo plano,
é apenas um caco de sílabas.

Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 01/08/2006
Código do texto: T207167
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 08:08)
Djalma Filho