Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEMÓRIAS NORDESTINAS

eu Sou mais eu!
bem mais forte, pés rachados,
tentei
ser um cosmopolita.

[desviolei o sertão]

falta faz farinha no bucho
a água da cacimba
o angu com pouco sal
da minha mãe,
da mãe dos meus sete filhos
[uma Mariinha]
que – às pressas – vem para as bandas de cá,
atrás dos meus pés ainda rachados,
na tentativa
também de ser cosmopolita.

[malas carregadas]

falta do curió cantador
da rapadura-puxa
dos espinhos do mandacaru
do meu pai
de pés mais rachados que os meus
[‘Seo’ Luiz]
que – por carta de selo – me contou num repente
que ficará por lá nem que o quengo rache
qu’eu pare de insistência
pr’ele vir pr’uma terra maior que o chão.

[desviolei o sertão]

falta da cachaça de cabeça
do cuscuz de tapioca
do capim-santo, do gado magro
dos inchadinhos barrigudos
de pés nem tão rachados quanto os meus
[Zefa, Zeca, Zilú, Zica, Zoião, Zito e Crispiniano]
que – ainda de dó no chorar – querem vir logo para cá,
na cidade onde os beiços tremem,
matar para todo o sempre
a saudade que cresce e fica n’agente

nós Somos mais nós!
disse eu à Mariinha curando seus pés do frio.
Vamô voltá pru nosso chão?

eu Sou mais eu!
[repensei]
todo cosmopolita é um bom filho-da-pêga!

[não desviolo mais o sertão]
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 01/08/2006
Código do texto: T207169
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19525 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:07)
Djalma Filho