Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vento da Noite

Quero um açoite qualquer
que tire essa dor,
dor que vem de dentro,
raspa a saudade
e explode em lágrimas.

Que fazer?
O mundo não pára de dar voltas,
e conseguir surpresas
a cada novo sol?

Que fazer,
se o trigão da terra
desvaneceu-se ao
vento de outono?

É a idade que antecede à colheita,
é o rumorejo da velhice lá longe,
aguardando, de mesa posta,
a vítima de cada dia.


Assim, deito no colo dela
-de puro cetim -
e espero pelas boas novas:
mas que não venham de açoites!

durante meus pernoites,
nesta casa de ninguém, onde
toda noite todo mundo se renova
em juventude, eu me renego à solidão
dos minutos.

Por um instante qualquer
quero ser tão puro no coração
desta Maria de quatro
estações,
de nenhum vento e sempre
banhada de um sol radiante !

José Kappel
Enviado por José Kappel em 02/08/2006
Código do texto: T207452
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26787 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:39)
José Kappel