Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NO LIMITE

I
Divina luz
Ó flâmula que estremece o vento brincalhão
Em teu seio ameno
Cravos e orquídeas acasalam-se gozosamente
Deixando cair sob a saliência do tempo
Pingos de fina sobrevivência...
Mas não há nisso nada de admirável
Porquanto a terra
Em lugares incertos e por decidida licença dos céus
A maldade priva-nos da luz do sol de hoje
E pelos caminhos que seguimos esperançosos
Ela se enche de zelo
E nos encoraja a beber arsênio
No limite de suportarmos insidiosa fome...
Todavia
De nenhum modo
Concedemos que se enganem os olhos
II
Ó divina chama
De fato
É deles o papel de apontar
Onde está o arco e a flecha
Mas se a flecha e o arco
São as mesmas coisas que antes havia numa alça de mira
E que passaram para outra pontaria
Ou se antes
Tudo sucede como já disse Judas Iscariotes
Isto é o que deve distinguir o juízo da essência
Visto que os olhos da angustia
Não podem conhecer a genialidade dos arqueiros:
Não se deve
Impor aos olhos o erro da ilusão
Pois o barco em que somos conduzidos
Move-se rapidamente e parece estar parado:
E aquele que fica no ancoradouro
Julgamos nós que avança contra
A mira do coração
III
Majestosa lucidez
Quando avisto o caminhar errante dos homens
Com um brando torpor e a mente jazendo
Numa suprema inquietação
Então me parece
Que as colinas e os campos carecem fugir pela popa
Quando passamos perto de navio
Levados pelo vôo das velas
As estrelas parecem estar todas fixas
Nas abobadas do ar
E todas elas são levadas em contínuo movimento
Todas elas tornam a ver
Depois de nascerem o poente longíguo
Quando já mediram com seu corpo brilhante
O céu inteiro
IV
Ó grito que beira o espanto
Ó divina Luz que aviva o meu poema
Se há na palavra alguém
Que julgue nada saber do amor de perdição
Isto mesmo ele ignora se pode saber do desamor
Visto que diz nada saber
De onde
O vento se enche de zelo
E nos encoraja a beber mercúrio
Na fronteira de tolerarmos
Ardilosa insensatez
Benny Franklin
Enviado por Benny Franklin em 02/08/2006
Reeditado em 03/08/2006
Código do texto: T207737
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Benny Franklin
Belém - Pará - Brasil
34 textos (1231 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:30)
Benny Franklin