Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Casa abandonada XX O diabo anda à solta





Do purgatório ninguém escapa, Dante reclama
A origem do diabo, por palavras, faz o cómico sério.
E o diabo anda à solta,
Basta ver no jornal mãe faz  isto ou aquilo, o Sr. Ministro,
Catherine Dasté, o binómio agora é trinómio,
Porra, gaita, foda-se.

A casa abandonada ainda vem na revista de fim de semana.

Picasso era um ditador, Hitler pintor,
Vejam com os vossos olhos,
O diabo anda à solta.

Pronto deixá.lo para lá, pobre diabo,
Não sabe estatística, nem lê Focault,
Prefiro Umberto Eco, é mais piramidal,
E compreende-se coisa rara na Arte.

Na Crónica Feminina, já acabou já se pode fazer publicidade,
Vinha um artigo interessante:
“Ela pensou que fosse o diabo, e fugiu da cama, fim de citação.

No Sete, tb já cá não está pode-se chorar um bocado,
Vinha o anúncio seguinte:

“Procura-se um guitarrista bom, como o diabo, para banda “Ró”, da pesada”

Na verdade não se sabe se o diabo é bom ou mau,
Porque ninguém o viu,

Mas como surgiu uma personagem fruto apenas da imaginação?, e porquê?

Há coisas levadas do diabo!


Constantino Mendes Alves
Enviado por Constantino Mendes Alves em 04/08/2006
Código do texto: T208684
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Constantino Mendes Alves
Portugal
324 textos (3787 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:56)
Constantino Mendes Alves