Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Saia de Azul

feituras
de dourado-
faisão,
saem de suas
mãos ilhadas
de açúcar-limão.

mas,não chore -
parece assim
bem ilhada -,
pois de tão
próxima é,
que bem podia
ser minha
brilhante
afilhada.

um toque
sem vãos,
sem sermão,
fará sua vida
mais um espírito-
irmão.

e se não
te contaram
olha agora:

este homem,
de senso,
foi sua saída
prá sentida
dor fora
do comum.

assim penso.

um apaziguador de
feridas.

assim digo.

foi sua entrada,
para casa sagrada
dos
eternos.

assim,lastimo!

hoje,uma cruz
não é o bastante
- e isso eu garanto -
pra apaziguar
sua dor de luz!

mas de tanto
ressuscitar sua
imagem,
ergueu uma muralha
de meia-tristeza.

mas,

pegue a saia
de azul,
e beije um pássaro
mais atiço.

então,
faça dele
um novo príncipe,
e apazigue sua
imagem
no seu coração
afagado de dor -
como um lince ferido.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 04/08/2006
Código do texto: T208873
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26783 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:25)
José Kappel