Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HORIZONTES

Do lado de cá da cerca,
Do lado de lá é mais triste...
Do lado de cá do jornal,
Do lado de lá são só fotografias...
Do lado de cá do paraíso,
Do lado de lá o Diabo anda solto...

O cinema apresenta o super-herói,
Ah...como dói do lado de cá
O lado de lá todo arrebentado...
Crianças enfiando sonhos em pequenas valetas,
Os homens aprendem a chorar do jeito mais triste,
As mães tentam agarrar nuvens que passam,
Vermelhas, que correm e vão embora...

Vem cá, me dê sua mão, façamos uma corrente de gente,
Todas, fortes, elos suficientes para não quebrar
O coração no altar...

Vem cá, se todas as mentes pensarem iguais e não diferente
Seremos o bastante para afastar a negra semente
Que insiste em brotar no nosso jardim...

Vem cá, acredite, estou chorando não por mim, não por você,
Choro por todo aquele que quer e não pode ver,
Choro por todo aquela que gera e semeia e fenece,
Choro por toda a fumaça que empesteia o horizonte,
Choro por mim, por você, por não poder estender
A alma como estrada aberta para todo aquele
Que caminha na mais estranha estrada,
Humana e incerta.




Preto Moreno






Preto Moreno
Enviado por Preto Moreno em 04/08/2006
Reeditado em 04/08/2006
Código do texto: T209190

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Orivaldo Grandizoli). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Preto Moreno
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
6777 textos (102521 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 14:17)