Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Covardia

 
Vestiria de sol minhas luas
e ninguém me saberia noite.
Aos meus passos badalados,
como o carrilhão da sala,
acrescentava notas de um cello.
Quem não me abriria cortinas
para desfilar a majestade?
 
Salpicaria o chão à volta
de particulares estrelas miúdas.
Abandonaria os olhos na envergadura
das asas de um condor.
À rouquidão dos versos inacabados
Pontuaria com silêncios intermináveis.
Quem não me brindaria a ausência?
 
Eu, chama fugaz,
minuto pausado,
inteira volta do ponteiro
noite adormecida.
Eu, utopia destra da covardia,
acendo a escuridão
para morar na solidão.
 
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 05/08/2006
Código do texto: T209721

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55643 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 11:18)
Angélica Teresa Almstadter