Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DE REPENTE

De repente, mergulhada em bruma
lama sem rumo caída na vereda da ausência.
Em rajada de mau vento
meus sonhos amputados
meu sangue coalhado
na voragem absoluta.
Na mente
um turbilhão, a dúvida irresoluta.
Farsa, comédia, drama
revolta, dor, ressentimento?...
E o ódio enrubescendo em chama!
Porém
nos olhos vazios de espanto
choro de criança era o meu pranto.
Para além do entendimento
de repente, amada
de repente, o nada...
De repente... de repente!


(In 1ª Antologia Poética do Grupo Ecos da Poesia - ed. Abrali
 lançada em Abril/2005, em S.Paulo-Brasil)
Carmo Vasconcelos
Enviado por Carmo Vasconcelos em 31/05/2005
Código do texto: T20976
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Carmo Vasconcelos
Lisboa - Lisboa - Portugal
203 textos (15408 leituras)
62 áudios (7662 audições)
15 e-livros (1367 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 16:08)
Carmo Vasconcelos