Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cá desta janela que te vejo...

Cá desta janela que te vejo
O corpo flutuar nu, desejo
Esses lábios sabor de mel
Essa pele que me inspira, céu

Cá desta janela que espero
A mente flutuar, coração
Nessas coxas, meu tesão
Dedos nos lábios, esmero

Cá desta janela que salta
Todo seu corpo exalta
O frescor do múltiplo gozo
Por todo os caminhos que penetro

Cá desta janela inspira
As roupas chorando ao chão
Um novo gozo, explosão
A calma, o seio suspira

Cá desta janela
Enquanto o coração arde.

Peixão89
Um belo dueto com a amiga Rose Mary Sadalla.

Eu de mim...

Com a vaidade de Deusa da vida
Sou minha no ego do meu átrio
Adorno os contornos do meu corpo
Com tecidos de sedas esvoaçantes
Sou minha, sempre elegante e provocante
Queimando de fogo por dentro, retendo calor

Sou a batida que explora e explode meu peito
Me deixando fervendo em calor e ebulição
Sou a visão pura do paraiso privativo do meu édem
Onde me recolho pros afagos da minha sedução
Sou caminhante, dona dos meus passos vadios
Direcionando meu corpo no perfume forte
Que exala da beleza natural da minha pele

Sou os véus da minha transparência sonhadora
Mulher de mim, sou minha esvoaçante te visitando
Sou a sorte vadiante, delirante que te chama
Sou eu, linda cheirosa perfumada e sensual
Te oferecendo a pele com sabor de manga
Sou minha de ti, sou tua visitante recolhida
Te querendo meu, sou minha no adormecer de ti.

Rose Mary Sadalla
Rio de Janeiro-RJ - Em, 12/08/2001 - 04h00
Peixão
Enviado por Peixão em 01/06/2005
Código do texto: T21301
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120251 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:47)
Peixão