Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TÁ AMOR EU SUMI, PORÉM SEMPRE VOLTO

Já nem consigo ser ágil
Nem passar por cima de todos
sem a menor dificuldade.

Quis wisk de malte
Sobrou um pouco de chá.

A minha esposa pergunta
Por mim para os meus pais.

Ponho mais acuçar no café,
a minha amarga vida
começa a doer.

Quis conversas banais,
Fiquei ao acaso
Com as minhas costantes dores renais.

Meus restos mortais
Acompanha-me até em casa,
O cachorro novo não sabe quem eu sou.

Beijo sabor tangerina,
Esmalte vermelho novo.
- tá amor eu sumi, porém sempre volto.
mário cardoso
Enviado por mário cardoso em 11/08/2006
Código do texto: T213773

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site http://recantodasletras.uol.com.br/autores/abelha). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
mário cardoso
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 31 anos
370 textos (14925 leituras)
3 áudios (241 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:06)
mário cardoso