Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Noite

Noite...
Onde o frio e o silencio
Fazem ponto na rua
Nos convidando a ficar em casa
Eu estou só, não consigo ficar só.
Então saio á rua e sinto um vazio
Apenas a solidão, e tristeza.
Não vejo ninguém, portas se fecham.
Luzes se acendem, continuo só.
Eu temo a noite, e a escuridão.
Paro na rua, e busco o horizonte.
Nada, o negro da noite, o esconde.
Olho para o infinito, procuro Deus.
Procuro respostas, não encontro,
Pois resposta não existe
Nada existe, apenas a brisa gelada,
Que beija meu rosto, e me manda voltar.
E me diz, que a chuva está chegando.
Olho o céu, vejo que nuvens negras.
Esconde as estrelas, de repente um trovão.
Lá ao longe, um relâmpago rasga a noite,
Como querendo, dividir o universo ao meio.
Eu tremo, mas não é de medo.
E a chuva gelada que toca meu corpo
A brisa se transforma em vendaval
A rua alagada se transforma em rio
Eu caminho sem pressa, pressa pra que.
Já estou molhado, o frio não é mais frrio
Não sinto mais meu corpo tremer
O vento não é mais vento, apenas uma brisa.
Levando com ela, o que restou da chuva.
Somente eu fiquei, esperando respostas.
Mas resposta de que?
Se nem mesmo eu sei, o que procurava...




                                Volnei Rijo Braga
Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 02/06/2005
Código do texto: T21434
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147462 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:59)
Volnei Rijo Braga