Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desarmem-se

Há violência de comportamento
No modo de pensar do Homem
No modo de agir do aparelho
De Estado, no aparato policial
No sistema Econômico Nacional
A violência está solta em geral

Há violência no acesso a Justiça
Ao cercear o direito do cidadão
Menos favorecido, na distribuição
Da Renda Nacional, na concessão
Do direito ao emprego para uma
Vida digna, no acesso do individuo
Ao ensino básico, no discurso político...
Dos candidatos a cargos eletivos

Há violência na forma de elaboração
E aplicação de provas para o acesso
Ao emprego público, nas filas dos
Supermercados, nas filas dos coletivos...
Nas tonalidades das palavras, no olhar
Desconfiado do poder constituído, da
Mulher contra o marido, do filho contra
Os pais; há violência demais!

Anda-se armado até os dentes e de repente
A emoção toma conta da razão, tira-se os pés
Do chão e tudo se põem a perder, estressa
O coração e sem razão começa-se a morrer.

As armas do “mocinho” e do bandido nos deixam
Perdidos, sem direção, assustando e fazendo-nos
Prisioneiros dos fuzis e dos canhões. Bate-se leve
No comércio de drogas que afoga o cidadão;
O poder público é cego, surdo e mudo e nega
Qualquer participação... A violência está no ar
E dentro de cada coração...Desarmem-se e vejão
O semelhante como irmão... Aí, podemos nos
Dar as mãos, viver num mundo melhor...
Com equilíbrio entre a razão e a emoção.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 14/08/2006
Reeditado em 14/08/2006
Código do texto: T216092
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3128 textos (79567 leituras)
2 e-livros (393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 02:34)
R J Cardoso