Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os s(m)eus dEUSes

Ser o que é e permanecer calado,
orgaos sutis ,mente confusa,
sala escura,olhares fixos,
cautela do (des)Conhecimento.
A escravidao está no documento;
neurose intelectual:
boa ,util e sutil...
As vezes na calada da noite,
aparece um Lobo Solitario...
Um falcao silencioso sobrevoa
as palvras que purificam,refinam e condenam.
Isso sim!Fanatismo moral,imoral ,intelectual.
alguem tem a ansia de passar fome,
prefere jejuar na França...
Um animal ,um homem feroz:
rebanhos de humanos obedientes e condenados(acorrentados?)
POIS o CORPO NAO CALA NESSE INFINITO
POIS O CORPO NAO FALA NESSES CAMINHOS,
POIS O CORPO QUE FALO TORNOU-SE UM POSTE SAGRADO
POIS O CORPO QUE NAO CALA È O MEU PODER;
A MINHA TRINDADE-PIEDADE.
"Eu nao tenho verdade
só sei o que e bom e mal,
deixei de ser um servo,
meu caminho se desagregou,
sem uma ASA ou um DEDO",
No meu olhar um dEUs,
"Porque todos os caminhos vagos ainda se enchem de desejos ELENBA?".
sexo sem secreçao.
crime:pecado e doença.
sujeira-pudor-zonas,
confesse o seu "erro"!
sexo no quadrado nao pode.(e a rua?)
Mente Superior,
nao confesse seu pecado
nao cruze os seus dEUSes.
POETA JOSE MARIO DANTAS
Enviado por POETA JOSE MARIO DANTAS em 14/08/2006
Reeditado em 14/08/2006
Código do texto: T216352
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
POETA JOSE MARIO DANTAS
Caicó - Rio Grande do Norte - Brasil, 42 anos
122 textos (4667 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 06:08)
POETA JOSE MARIO DANTAS